fbpx

10 erros comuns que podem te deixar endividado

Fique atento aos principais erros que podem te deixar endividado

Em momentos de crise, o dinheiro tende a circular menos, ocasionando o endividamento de pessoas que não costumam fazer reservas financeiras. Por conta disso, muitas delas acabam recorrendo a empréstimos com altos juros, cheque especial e a cartões de crédito para conseguir manter o padrão de vida.

Além desse cenário, existem ainda as pessoas que, independentemente da situação econômica do país, permanecem endividadas, por repetirem um padrão de comportamento de consumo que consiste em sempre gastar mais do que a sua renda. Essas pessoas não percebem, mas elas estão presas a um ciclo de endividamento, por repetidamente cometer os mesmos erros e, talvez, por isso, não consigam superar tal problema. Esse é seu caso? Conheça agora os 10 erros clássicos que levam ao endividamento:

1. Sair gastando

Conhecer o orçamento doméstico é o primeiro passo para entender qual o seu limite de gastos mensais. A maioria das pessoas endividadas não toma conhecimento disso e sai gastando, sem nenhum planejamento. Por isso, coloque tudo no papel e busque ficar dentro do que é possível usar, sem extrapolar o ganho mensal.

2. Não fazer reserva

Sabemos o quanto é difícil guardar algum dinheiro. Até porque, geralmente, não sobra nenhum, mas sabe aquele gasto que você suprimiu? Tente guardar alguma coisa, mesmo que seja pouco. O ideal é poupar, pelo menos, 10% da renda mensal, mas caso não consiga, junte o que puder.

3. Não controlar o consumo

Se não consegue controlar o impulso de comprar mesmo sem necessidade, substitua a ida a esses locais propícios ao consumo, como shoppings e lojas, por museus, parques, atividades em ruas e praças. A compulsão é um traço comum dos endividados e o comércio é o principal atrativo para quem possui essa compulsão.

4. Permanecer no cheque especial

O limite do banco não faz parte do seu orçamento. Por isso, faça um esforço para não utilizá-lo. Ainda, os juros do cheque especial costumam ser altos, se um empréstimo for inevitável, dê preferência a uma dívida com juros menor, um empréstimo consignado, por exemplo, pode ser um caminho para quitar, ao menos, uma das dívidas, ou a dívida mais pesada.

5. Não acompanhar taxas de juros

Não adianta guardar o mesmo valor durante toda a vida, sem pensar na valorização do dinheiro. Os juros crescem e a economia roda. Por isso, sempre busque guardar o valor com os juros da poupança ou de outra taxa de juros maior, se puder.

6. Não cortar gastos endividado

Um erro comum é esperar fazer alguma economia no final do mês, sem cortar gastos. Assim que fizer o detalhamento dos seus custos fixos mensais, verifique o que pode ser suprimido. Aquilo que não for indispensável naquele momento e que puder esperar para o futuro, é algo que pode ser cortado. Mesmo que a economia seja pequena, no final vai fazer diferença. Não adianta manter os mesmos elementos na equação e esperar que o resultado seja diferente.

7. Não controlar o cartão de crédito

Pior ainda que o cheque especial, o cartão de crédito é o campeão em juros altos, por isso não o tome como solução para outras dívidas. Também nem pense em pagar contas com ele. Essa é uma armadilha sem volta. Controle gasto a gasto. Não deixe que extrapole seu orçamento.

Cartões de crédito, para quem tem baixa renda, são para compras parceladas e pontuais, e devem ser usados inteligentemente. Se a sua intenção é usar o cartão em todas as compras mensais para acúmulo de milhas isso deve ser feito com o máximo planejamento, para você jamais extrapolar a sua renda mensal nem entrar em um ciclo eterno no cartão de crédito, onde tudo que você ganha serve para a pagar a fatura, deixar nenhuma  reserva.

8. Investir endividado

Investir é sempre uma boa pedida. Mas cuidado para não se precipitar. Antes de qualquer investimento é preciso quitar as dívidas. Afinal, transações financeiras envolvem juros, reservas e risco. Portanto, é preciso calcular bem e estar com as contas em dia.

9. Gastar mais do que recebe

Extrapolar o orçamento é o primeiro passo para ficar endividado. Por isso tenha controle dos seus gastos, faça uma reserva e busque ficar dentro do orçamento, sem comprometer suas contas.

10. Livre-se dos juros

Para não ficar endividado, procure pagar as contas em dia, principalmente faturas básicas de uso rotineiro, como contas de luz, água, gás. Também não acumule obrigatórios, como os anuais IPTU, IPVA e sempre que possível, aproveite os descontos oferecidos àqueles que pagam as suas contas antecipadamente.

O Brasil começou 2020 com 61 milhões de brasileiros negativados. Se você está nesse número, crie sua conta no DinDin sem enfrentar problemas e deixe de perder dinheiro com taxas e anuidades. Gerencie suas despesas com facilidade e sem burocracia.

Carregar mais posts